Estatuto
PDF Imprimir E-mail

ESTATUTO DA REVISTA DO CEMOP

 

Da natureza da publicação
1. A Revista do CEMOP é uma publicação semestral de difusão e discussão da produção intelectual marxista em sua diversidade, bem como de intervenção no debate e na luta teórica e prática.

2. A Revista do CEMOP tem interesse numa ampla gama de temas teóricos, históricos e contemporâneos. Privilegia, contudo, quatro tipos de textos:

a) textos que contribuam para o desenvolvimento da teoria marxista;

b) textos que tomem por objeto de análise e de crítica as características da política, da sociedade, da economia e da cultura no capitalismo contemporâneo;

c) textos que analisem a situação atual da categoria trabalhadores e da luta pelo socialismo;

d) textos que analisem experiências históricas e contemporâneas bem como o debate teórico sobre as formas de controle operário, gestão operária e conselhos operários.

4. A Revista do CEMOP só aceita para publicação textos inéditos ou devidamente autorizados para republicação no Brasil.

 

Do Comitê Editorial                                                                
1. O Comitê Editorial é o órgão dirigente da revista. É ele quem define a sua linha editorial, delibera sobre a publicação do material recebido e decide sobre as questões organizativas e financeiras da publicação.

2. As decisões do Comitê Editorial são tomadas em reuniões previamente convocadas.

3. As decisões do Comitê Editorial só serão tomadas por consulta via internet quando o assunto for de incontestável urgência.

 

Da Secretaria de Redação
1. A Secretaria de Redação é designada pelo Comitê Editorial e formada por três integrantes.

2. A função geral da Secretaria de Redação é organizar as atividades relativas à produção e à divulgação da revista de acordo com as decisões tomadas pelo Comitê Editorial.

3. A Secretaria de Redação convoca as reuniões da revista, elabora a pauta das reuniões e distribui todo o material para os integrantes do Comitê Editorial.

4. Para a elaboração da pauta das reuniões, a Secretaria de Redação apresenta propostas e examina aquelas encaminhadas por membros do Comitê Editorial. A pauta definitiva da reunião, contudo, é objeto de deliberação do próprio Comitê Editorial no início de cada reunião.

5. A Secretaria de Redação deve manter o Conselho Editorial - o órgão amplo e consultivo da revista - informado sobre o trabalho de produção e divulgação da revista.

6. A Secretaria de Redação é responsável pela organização da venda militante da Revista do CEMOP, deve apresentar periodicamente um balanço das finanças da revista, promove a sua divulgação, organiza debates públicos e lançamentos e é responsável por sua apresentação na página eletrônica do CEMOP.

7. O Comitê Editorial poderá transferir para um dos seus integrantes uma ou mais funções da Secretaria de Redação arroladas no item acima.

8. Recomenda-se o exercício do rodízio na composição da Secretaria de Redação e no exercício das funções delegadas pelo Comitê Editorial de que tratam os itens 06 e 07 acima.

 

Do Conselho Editorial
1. É um órgão amplo de caráter consultivo.

2. Espera-se do integrante do Conselho Editorial que ele assuma, pelo menos, uma dessas três atividades: a) venda militante da revista; b) a proposição de matérias próprias ou de terceiros (artigos, comentários, entrevistas, resenhas); c) a emissão de pareceres quando solicitado.
3. O Conselho Editorial reúne-se pelo menos bienalmente para avaliar o trabalho da revista e apresentar propostas ao Comitê Editorial.

Dos pareceres e do processo decisório para publicação dos textos
1. O parecer deve considerar principalmente se o texto avaliado apresenta idéias fundamentadas e se ele se enquadra no programa editorial da revista, tal qual expresso no primeiro item deste Estatuto – Da natureza da publicação.

2. Os pareceristas de cada artigo são designados em reunião do Comitê Editorial da revista ou, em caso de necessidade, pela Secretaria de Redação.

3. Não será designado como parecerista alguém que, nessa condição, possa se ver em situação de conflito de interesses.

4. Não será designado como parecerista o membro do Comitê editorial ou do Conselho editorial que apresentou o artigo para apreciação.

5. O sistema de parecer adotado é o do duplo cego: o parecerista não é informado sobre a autoria do texto que examina e o articulista tampouco é informado sobre o parecerista que examinou o seu texto. O parecerista deve manter sigilo sobre o seu parecer.

6. Serão solicitados dois pareceres para cada texto. O texto que obtiver dois pareceres favoráveis estará definitivamente aprovado e aquele que receber dois pareceres contrários estará definitivamente recusado. No caso de um texto obter um parecer favorável e outro contrário, será solicitado um terceiro parecer para desempate.

7. No caso de um artigo receber apenas um parecer, o Comitê Editorial decidirá se esse parecer é suficiente para se tomar uma decisão sobre a sua publicação ou se é necessário encomendar novamente outro parecer.

8. Cada integrante do Comitê Editorial poderá elaborar, no máximo, três pareceres para cada número da revista.

9. O Comitê Editorial só discutirá o conteúdo dos pareceres e só deliberará sobre a aprovação e rejeição dos artigos nas reuniões da revista.

10. Resenhas, documentos históricos, entrevistas e artigos encomendados não são submetidos ao sistema de pareceres. A publicação de tais matérias é decidida nas reuniões do Comitê Editorial, ficando a Secretaria de Redação responsável pela leitura e revisão final do material.