Fábricas ocupadas e controle operário
PDF Imprimir E-mail

R$ 30,00

 

 

A Cipla, a Interfibra e a Flaskô - no Brasil - e a Zanon - na Argentina -, entram em crise a partir da década de 1990. Palco de conflitos entre patrões e operários, entre 2002 e 2003 serão ocupadas pelos trabalhadores. Lutando para manter as empresas produtivas eles demonstraram capacidade de organização, resistência e combate. A partir de uma plataforma de classe, baseados na mobilização própria e na consolidação de amplo apoio social.

Estes casos exemplificam o que de mais avançado realizou a classe operária latinoamericana nos últimos anos. Histórias que evidenciam o potencial e a capacidade de protagonismo que a classe operária mobiliza na atualidade para superação do sistema e da sociedade baseados na propriedade privada dos meios de produção.